A tão famosa Dieta do Dr. Atkins

Home » Dietas » A tão famosa Dieta do Dr. Atkins

on fev. 20, 13 • por • com Sem Comentários

A tão famosa Dieta do Dr. Atkins

Pin It

Todo mundo já ouviu falar da tão famosa dieta da proteína, conhecida também como dieta do Dr. Atkins, que foi o inventor disso tudo.

A idéia é restringir ao máximo o consumo dos carboidratos, que são os pães, as bolachas, as massas, o arroz, os cereais, as frutas, as farinhas, a batata, a mandioca e os doces e priorizar o consumo de proteínas, que são as carnes, as aves, os pescados, os frutos do mar, os frios, os embutidos, os ovos, os leite e seus derivados. As leguminosas, que são os feijões, a lentilha, o grão-de-bico, a ervilha e a soja também são da família da proteína, porém, nessa dieta elas não são bem vindas, devendo ser evitadas.

Segundo o Dr. Atkins, na primeira semana deve-se comer apenas 20 gramas de carboidratos por dia, que seria uma maçã pequena ou duas garfadas de macarrão ao alho e óleo ou um pão francês sem miolo. Nessa fase, até os vegetais que, em geral, possuem baixa quantidade de carboidratos são restritos a 3 pequenas porções por dia.

Dr. Atkins e seu livro

Dr. Atkins e seu livro

Já a partir da segunda até a quinta semana, são liberados 40 gramas de carboidratos por dia. As refeições são feitas basicamente com carnes, ovos, leites, frios, embutidos e algumas poucas verduras. Depois dessas 5 semanas, os carboidratos vão sendo colocados de forma gradativa no cardápio, até se determinar a quantidade a ser consumida por dia sem aumentar os números da balança.

Para se ter uma idéia, uma pessoa saudável deve consumir, em média, de 200 a 300 gramas de carboidratos por dia, representando de 50 a 60% da nossa alimentação. Essa dieta pobre em carboidratos desencadeia uma reação no organismo que chamamos de cetose, que é quando o fígado converte a gordura em substâncias para o corpo ter energia para funcionar.

Mas, afinal, essa dieta emagrece? Com certeza, mas não será um emagrecimento saudável, já que haverá a perda de massa muscular que é “queimado” para produzir energia, pois, num determinado momento, a gordura é poupada, já que é a forma que temos para estocar energia no corpo.

E vocês devem estar se perguntando se não elimina nenhum pouquinho de gordura… Sim, porém, numa pequena quantidade, perdendo-se em maior proporção massa muscular.

Além disso, a falta de carboidrato pode provocar moleza, tontura, mal-humor, sono, tremores, dor de cabeça e até desmaios. O intestino pode ficar na cadeia, preso, já que as fibras estarão sendo ingeridas em pequeníssimas quantidades, pois são mais encontradas nos vegetais e nos carboidratos.

Os portadores de doenças renais também podem ter sérias conseqüências já que a alta ingestão de proteínas sobrecarregam os rins. Ela também não propicia uma reeducação alimentar, que é a base para se ter uma alimentação e um peso saudáveis, podendo ser mantido a longo prazo.

Até o próximo post!

Tags: , , , ,

Artigos Relacionados


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


« Artigo Anterior

Próximo Artigo »

Scroll to top